Ficar linda em seu grande é tudo que você mais deseja, não é mesmo? E ter uma aparência extremamente mais jovem por algumas horas? Sim, isto é possível até mesmo no dia do seu casamento. “O rejuvenescimento instantâneo é um protocolo que envolve três passos e é indicado para a pré-maquiagem”, explica o dermatologista Guilherme Corradi (SP).

O tratamento começa com a higienização da pele com água e sabonete específico para tipo. Em seguida, é aplicado um óleo especial para a condução da manopla facial do aparelho. “Por meio de aplicadores posicionados no rosto, são realizados disparos de radiofrequência no local tratado”, acrescenta.

A radiofrequência tripolar é um dos principais tratamentos de estética e bastante eficaz no combate a rugas, flacidez e linhas de expressão, melhorando a formação de colágeno e elastina. “Ele funciona com um aquecimento da pele, provocando uma contração do colágeno e promovendo a produção de novas fibras, dando maior firmeza à derme”, completa o médico.

Retirado este óleo, é iniciada uma massagem revigorante com as mãos e um sérum de argireline. A próxima etapa é a aplicação de uma máscara tensora com ouro 23 quilates, retirada 15 minutos depois e aplicado o primer finalizador para potencializar a maquiagem da noiva. “O efeito dura até 40 horas.”

O sérum de argireline, segundo passo do protocolo, é uma substância famosa pela imediata redução da percepção das rugas e linhas de expressão, pois relaxa a musculatura ao redor das marcas, promovendo um efeito tensor e fazendo com que se atenuem – resultados semelhantes ao uso da toxina botulínica.

A sessão dura 1h30, custa R$ 500 e não é preciso nenhum cuidado anterior, basta que a noiva tenha tido uma boa noite de sono. Após, recomenda-se usar protetor solar e BB cream. Para um efeito prolongado, é interessante realizar sessões quinzenais. É contraindicado para grávidas, mulheres que já tenham preenchimentos, toxina botulínica, marcapasso, câncer ou metástase, artrite, pacientes imunodepressivos, menores de 18 anos, que tem algum tipo de prótese metálica, doenças dermatológicas ou que tenham realizado procedimentos cirúrgicos sem completa cicatrização.

Foto: Pixabay

Escrito por

Katia Deutner

Jornalista por formação e apaixonada por este universo de magia e encantos. Já trabalhou em diversas revistas do setor e tem um olhar apurado para o belo.